The EP Experience, now on Patreon!

Hello, everyone!

To adjust myself to the growing demands of my audience, this amazing community that has grown around the blog, I’ve decided to help you have some voice and input in the blog by becoming my patrons – Patreon is an amazing platform that allows creators to get paid to do what they love most, only better, faster and with more resources with the help of their followers!

Please help me grow the blog (and in turn help you in your studies) by becoming patrons of The EP Experience! The blog’s page can be found under https://www.patreon.com/europeanPT.

Obrigado a todos!

Luís

Patreon

Advertisements

My Very Own EP Experience: Yuliya’s Story

Não vou escrever por que razão eu comecei a aprender o português. Isto é uma história separada e longa bastante. Esta vez vou falar como é aprender o português na Rússia. A minha cidade é terceira no país em termos de dimensão populacional, mas só há uma escola da língua portuguesa aqui. Para ser mais preciso é um centro da língua e cultura portuguesa. Porque a nossa professora é uma pessoa muito apaixonada por Portugal. Ela não só nos ensina a língua mas também fala muito sobre cultura, história e tradições de Portugal.

Continue reading

Introducing Your Very Own EP Experience!

Hello, everyone! I hope you’re having a great week! (:

As an effort to make the blog more interactive and lively, I’d love to give all of my readers an opportunity to be a part of the blog!

Hence the idea of creating a section of the blog where you can share your experiences with Portuguese learning and Portuguese culture; you could write blog entries about your language learning progress, a certain aspect of Portuguese culture/language you find interesting or about a recent or not so recent trip to Portugal you might want to share with everyone: as long as you write it respectfully (even criticism), my only job will be to proofread and host your stories. If you have your own WordPress account, I can add you as featured writers on the blog! (:

Continue reading

EP word of the week (#127): vender gato por lebre

Como qualquer outra língua, o português é muito rico em expressões idiomáticas que utilizam várias palavras do vocabulário comum com um significado muito específico.

Uma dessas expressões é um verbo, vender gato por lebre, que significar enganar alguém (ou ser enganado por alguém) ao vender algum serviço como se fosse algo bom, mas que na verdade só traz malefícios ao consumidor. Em termos mais gerais, também pode ser utilizado quando se engana alguém, dando uma ideia de qualquer coisa que está bastante longe da realidade.

Neste caso, a comparação é bastante evidente: um gato (cat em inglês) não é uma lebre (hare, em inglês, da família dos coelhos, rabbits), por isso “vender gato por lebre” é dar a entender alguma coisa (a “lebre”) que acaba por se revelar ser outra totalmente diferente (o “gato“), especialmente quando tal é prejudicial à pessoa afetada.

Um gato e uma lebre.

Continue reading

EP word of the week (#126): rotunda

Palavra da Semana de hoje diz respeito a algo que é muito comum em Portugal: [as] rotundas rodoviárias, utilizadas para fazer circular o trânsito nas estradas portuguesas (em especial dentro e à volta das localidades, i.e. cidades e vilas). Como o nome indica (caso saiba inglês ou alguma língua românica como o francês ou o espanhol), uma rotunda é circular/redonda (algumas podem ser um pouco mais retangulares, mas o termo utilizado é o mesmo).

No Brasil, esta estrutura têm vários nomes, incluindo [a] rotatória[o] girador, [o] balão, e [a] rótula; todos são também palavras em português europeu, mas utilizadas de formas diferentes: rotatória apenas como adjetivo (algo associado a rotações, voltas sobre um determinado eixo), girador como nome ou adjetivo, mas sem estar associado a algo concreto (girador é quem gira ou faz geral), balão pode ser um invólucro de borracha enchido com ar (balloon em inglês), o aparelho de ar quente que se utiliza para viajar (hot air balloon, balão de ar quente) e, informalmente, o instrumento utilizado para fazer testes de despiste de álcool no sangue (Breathalyzer); enquanto rótula é o nome de um osso no joelho (em inglês, patella ou kneecap), também ele de forma circular.

Uma rotunda muito movimentada.

Continue reading

EP word of the week (#125): subtil

Palavra da Semana de hoje retoma um dos temas preferidos deste segmento: apresentar diferenças de vocabulário entre o português europeu e o português do Brasil (e quando for relevante/tiver essa informação, também das várias variantes do português africano).

A palavra que escolhi foi subtil, um adjetivo; no Brasil, escreve e lê-se sem o bsutil; isto acontece para além de outras diferenças de pronúncia próprias dos vários dialetos de ambas as variantes: por exemplo, a maioria dos dialetos brasileiros pronuncia combinações finais de vogal + L como ditongos (/aw/, /ew/, /iw/, /ow/, /uw/); e um T antes de I ou E na última sílaba é pronunciado “tch”,  /tʃ/ (o mesmo som de twitch ou leachem inglês; tchèque, em francês, Tschüss, em alemão, човек, em búlgaro, etc.); logo, no caso de sutil, um português ouve algo semelhante a sutchiu quando um brasileiro (ou alguém que esteja a aprender português do Brasil) fala.

frases-lamentares-a-sorte-dos-que-morreram-e-uma-forma-o-vergilio-ferreira-7705
“To feel sorry for the fate of those who died is an oblique and subtle way to think of yourself as being immortal”, Vergílio Ferreira

Continue reading

Lost in [PT] Translation (#2): Casablanca, to tell, and the many meanings of “contar”

Casablanca is one of my favourite films; it has everything I like in a motion picture: a good story, mixing both the personal and the social; strong performances, a great score, and a really strong sense of self – the assured direction doesn’t waste any time setting the table for the story, from the first frames about the escape route from occupied France to Casablanca (and onwards onto Lisbon, which was used by refugees as an escape route into America; even though Portugal was ruled by an authoritarian, fascist leader – António de Oliveira Salazar – the country remained neutral in World War IIto the last shot of the plane flying above and Rick’s famous “I think this is the beginning of a beautiful friendship.

A few weeks ago, while I was re-watching it (I recorded it a few years ago in my TV cable box during a rerun on RTP2, the culturally-inclined channel of Portugal’s national public television and radio provider, RTP, so I can watch it whenever I want) I noticed a particularly interesting line which felt perfect for this segment!

It comes at a very sensitive time in the film, during which (SPOILER ALERT IF YOU HAVEN’T SEEN IT) Ilsa (Ingrid Bergman) and Rick (Humphrey Bogart) have an argument about why she didn’t leave with him from occupied Paris. She starts explaining him her life when she started living in Paris, including how she met Victor Laszlo (Paul Henreid), a member of the Czechoslovak Resistance, and fell in love with him. Rick cuts the conversation short, ending it on a very sour note with the following lines:

Snippet of the Casablanca script (source: Vincent’s Casablanca).

Continue reading

EP words of the week (#124): pais / avós / tios

Hoje, o Words of the Week/Palavras da Semana traz-vos um grupo de nomes plurais ligados à família, e que são relevantes por utilizarem referentes diferentes para formar o plural, i.e. o nome que é escolhido para formar o plural de um casal (heterosexual, logo de género misto) não tem um padrão definido.

Por exemplo, a palavra [os] pais é utilizada para se referir a um pai e uma mãe (equivalente ao inglês parents)¹ ou, mais recentemente, a dois pais. Quando nos queremos referir a duas mães (quer sejam um casal ou não), utilizamos esse mesmo nome.

Continue reading

EP word of the week (#123): postar

Novos tempos trazem sempre nova terminologia, palavras e expressões que ajudam a explicar melhor o mundo em que vivemos dando sentido a novos conceitos e ideias.

A grande maioria dos neologismos originados na Era da Informação trazida pela Internet e pela World Wide Web são provenientes do inglês, especialmente no que diz respeito a termos técnicos associados às novas tecnologias (existe uma maior variedade de origens, por exemplo, na adoção de palavras ligadas a aspetos culturais que se difundiram através da Internet). Um desses exemplos é a utilização da palavra post para fazer referência a um artigo único presente num sítio da Internet ([o] website).

children-internet-practices-post-image-300x300

Continue reading

EP word of the week (#122): Ufa!

É sempre muito engraçado perceber que uma palavra ou expressão numa língua pode ter um significado totalmente diferente noutra; acho que essa é uma das grandes vantagens de descobrir mais línguas, sítios e culturas: conhecer novas realidades e perceber que são tanto as semelhanças como as diferenças nos tornam interessantes para os outros torna interessantes.

A palavra que decidi escolher para esta semana é Ufa!, que em português é uma expressão de alívio, uma interjeição que pode ser utilizada assim que terminamos uma tarefa difícil ou demorada, ou quando chegamos a casa depois de um longo dia de trabalho (tal como na imagem abaixo). Indica a remoção ou alívio de qualquer situação de stress ou dificuldade, algo que nos faça suspirar e ficar feliz por ter acabado. Em inglês, o equivalente seria Phew!, que por certo muitos de vocês também conhecem bem.

Continue reading

EP word of the week (#121): À grande e à francesa

Tantas são as expressões idiomáticas formuladas a partir de um qualquer estereótipo nacional, que por qualquer razão entra e se enraíza na língua de tal maneira que muitos o proferem sem sequer conhecerem os sujeitos em causa!

Independentemente de os franceses terem a vida mais facilitada do que os portugueses ou não (por vezes durante a nossa história recente foi difícil não sentir isso ou ver essa diferença expressa de forma evidente, em particular através dos milhares tornados centenas de portugueses que emigraram para França desde a década de 60 do século passado; nem todos passaram a viver melhor – ou demoraram algum tempo a afastar-se da pobreza e da discriminação que infelizmente por vezes assola os recém-chegados – mas a ideia de querer viver noutro dia já diz muito da ideia que se tem dele, mesmo que não seja totalmente verdade), uma dessas expressões é à grande e à francesa, que tem o sentido de “abundantemente, com luxo, ostentação, pompa.” [1] 

Um patinho de borracha estereotipado a viver (e comer) à grande e à francesa.

Continue reading

EP word of the week (#120): dinossauro

Hoje, 1 de outubro de 2017, é dia de eleições autárquicas em Portugal. Isto significa que os portugueses são chamados às urnas para votar nos dirigentes das suas autarquias locais (incluindo os presidentes de Câmara e das Juntas de Freguesia); estas eleições ocorrem de quatro em quatro anos – a última antes desta teve lugar a 29 de setembro de 2017, e como todas as eleições em território nacional têm lugar a um domingo (para permitir a mobilização dos membros das mesas de voto e dos votantes sem afetar os horários de trabalho da maioria da população, que normalmente não trabalha no fim de semana).

Mas o que é que a palavra [o] dinossauro tem que ver com este processo? Bom, por comparação com os dinossauros pré-históricos (como o tiranossauro Rex), utiliza-se esta expressão para os líderes autárquicos (locais) que ficaram a cargo dos seus respetivos concelhos (municípios) / freguesias durante várias décadas (Portugal instaurou este regime do poder local com a Constituição de 1976, e alguns dirigentes locais estiveram mais de trinta anos no poder até uma lei do início desta década ter interdito o número de mandatos consecutivos a três, i.e. doze anos seguidos).

Os dinossauros autárquicos. Foto da revista Visão , aquando das últimas eleições autárquicas, nas quais muitos dos antigos dinossauros foram impossibilitados de concorrer devido à entrada em vigor da Lei de Limitação de Mandatos).

Continue reading